Tipos de Perguntas na Investigação

Tipos de perguntas na investigação

Realizar uma entrevista nunca é fácil, todos sabem disso, mas o que muita gente não sabe é que utilizar as perguntas erradas podem tornar essa tarefa praticamente impossível. Mas é claro que nós do IPRC não íamos deixa-los desamparados nessa decisão, por isso separamos um trecho do livro “Manual do Entrevistador Investigativo Moderno”, confira a seguir:
Além de utilizar o formulário de entrevista comportamental (Material complementar do Livro), com perguntas para a obtenção de informações e para elucidar o comportamento, identificando desse modo o grau de sinceridade por meio da análise dos canais verbais e não verbais do entrevistado, o entrevistador junto com a equipe de investigação devem preparar perguntas específicas sobre o fato sob investigação.
Para elaboração das perguntas específicas sobre o fato sob investigação, o entrevistador pode se utilizar dos seguintes tipos de perguntas na investigação:

Pergunta aberta

tem como principal vantagem a obtenção da versão pura do relato, organizando-o e obtendo poucas informações distorcidas. A desvantagem é que alguns entrevistados podem se utilizar da prolixidade e desviar do objetivo principal da pergunta.Por exemplo: “Conte-me sobre você. O que você tem a dizer sobre o desvio de mercadorias da empresa? Conte-me como foi o último dia de trabalho na empresa x. Conte-me como foi seu depoimento.”

Pergunta do silêncio (técnica do silêncio)

Tem como principal vantagem tirar o entrevistado da “zona de conforto” e destacar uma mensagem velada de que o entrevistado não falou tudo o que poderia ter falado. O fato de permanecer por alguns segundos em silêncio, olhando para o entrevistado, gerará um incômodo o qual fará o entrevistado preencher o silêncio falando alguma coisa que muito provavelmente não havia planejado e nem se preparado para falar, mencionando algo que não havia dito anteriormente. A desvantagem é que a técnica do silêncio também traz incômodo ao entrevistador caso não esteja habituado com ela.

Pergunta fechada (direta)

Tem como vantagem dar o foco na entrevista, diminuindo a perda de tempo. Além disso, o entrevistador mostra conhecimento do caso sob investigação. A desvantagem é que não serve para coletar informações, mas é poderosa para identificar dissimulação, pois acabará por gerar reações verbais e não verbais no entrevistado.
Por exemplo: “Você aceitou suborno? Esse caso a que você está se referindo tem ligação com a demissão do gerente de projetos ocorrida no ano passado?”.

Pergunta regressiva

Essa pergunta tem como objetivo retornar à resposta do entrevistado, tirando-o da “zona de conforto”. A desvantagem é que, dependendo do momento da entrevista, pode distanciar o entrevistado do entrevistador e, por isso, recomenda-se que ela seja realizada no terço final da entrevista comportamental. Por exemplo: “Já lhe ofereceram suborno?” – Resposta do entrevistado: “Nunca me ofereceram suborno”. Pergunta regressiva realizada imediatamente após a resposta do entrevistado: “Então você está dizendo para mim que nunca lhe ofereceram suborno?”.

Pergunta complexa

Essa pergunta tem como objetivo desorientar o entrevistado e mostrar que o entrevistador está prestando atenção a todas suas respostas, pois o entrevistador utiliza de trechos das respostas do entrevistado durante a entrevista para formular uma nova pergunta, baseando-se em uma sequência lógica. A desvantagem é que essa é uma pergunta difícil de formular, pois o entrevistador deve estar muito seguro das informações do caso para não cometer nenhum equívoco na formulação.
Por exemplo: “Você disse que… E também falou que… E posteriormente afirmou… Logo, posso concluir que…?”.

Pergunta de comprometimento

Geralmente realizada quando o entrevistador identifica que o entrevistado está mentindo até mesmo em assuntos insignificantes. Ela serve para entender o significado que a mentira tem para o entrevistado. Ela também envia a mensagem que a mentira o desqualificará e trará consequências muito maiores que a verdade. A desvantagem é que ela pode distanciar o entrevistado do entrevistador.
Por exemplo: “Qual sua opinião sobre a mentira? Você já mentiu? O que você pensaria de um funcionário que mentiu sobre alguma coisa importante?”.

Pergunta negativa

É uma pergunta que não tem serventia, pois não traz nenhum tipo de vantagem ao entrevistador. Em geral, ela é realizada por entrevistadores inseguros que possuem o receio inconsciente de lidar com uma resposta que comprometa o entrevistado, provocando desse modo o “não” como uma resposta óbvia.
Por exemplo: “Você não pegou o dinheiro, pegou?”.
É importante que a sequência das perguntas siga uma lógica que ao mesmo tempo tire o entrevistado da sua “zona de conforto” e gere nele a tranquilidade para responder, sem a percepção de que está sendo julgado pelo entrevistador.


E aí, acredita que conhecer os tipos de perguntas na investigação pode te ajudar no futuro? Vai tentar aplicá-las na sua próxima entrevista? Então deixe nos comentários o que achou do conteúdo desse artigo. Nos ajuda muito a saber qual é o conteúdo que você mais gosta.Obrigado e até a próxima!