Quando conseguiremos que todos sejam reconhecidos como humanos na sociedade?

Boa tarde!

Hoje, dia 14 de maio de 2021 posso lhe fazer um convite?

Eu lhe convido em um exercício de empatia, a se transportar comigo para 14 de maio de 1888, porém com a minha pele. Nós duas ou nós dois somos duas pessoas negras que ontem 13 de maio de 1888 vivenciaram a assinatura da Lei Áurea.

Após 300 anos de escravidão em nosso país, distantes de nossos familiares que nem mesmo sabemos onde estão porque fomos separados para comercialização, lutamos, nos rebelamos, tentamos várias fugas para Quilombos construídos por Negros que fugiram e se preocuparam com o coletivo guerreando pela Liberdade de Todos nós, finalmente estamos “livres”.

Passamos a noite pelas ruas e avenidas, ouvindo pessoas não negras comentarem sobre uma Princesa chamada Isabel que teria com sua grande bondade nos libertado, mas nós sabemos que a “Liberdade” foi imposta por nós e pela pressão dos Ingleses para que o Brasil tivesse mais trabalhadores com renda para consumo.
Provavelmente nosso Protagonismo será apagado nos livros para que sejamos percebidos e lembrados como inferiores e submissos, e para que a Escravidão seja percebida como algo Natural para formação econômica do Brasil, afinal, o que será que pensariam e sentiriam as crianças nas Escolas se ouvissem que Seres Humanos foram roubados de suas Terras, separados das famílias, apanharam, foram assassinados e os sobreviventes que apresentavam boa estrutura física para o trabalho foram vendidos para famílias que na sua maioria os maltratavam e não pagavam um centavo pela força de trabalho?

Mas voltando a 1888, nos unimos eu e você as demais pessoas Negras em busca de moradia e comida. Moradias essas construídas por nós.

Saímos em busca de emprego. Conseguimos casas, bares, restaurantes, hotéis para limpar inicialmente a troco de comida.

Nossa Cultura nos aliviava, LIBERTAVA nossas mentes e nossas Almas. Nossa música, nossas danças, nossa Religião, mas em 1890 foi estabelecida por legislação o “Crime de Vadiagem” que prendia pessoas praticando Samba, Capoeira ou simplesmente que estivesse de pose de um instrumento. Amigos queridos sendo presos como criminosos, mas na verdade grandes trabalhadores, ex escravos, HUMANOS.

Sonhar em ser proprietária (o) de uma moradia? A “Lei de Terras” intencionalmente criada dificulta, pois proíbe a aquisição de terras por posses.

A “Lei do Boi” também foi criada para favorecer pessoas Brancas, pois tratava-se de Cotas para Agricultores ou seus Filhos adentrarem nas Faculdades.

Mas vamos lá, nós duas (dois) somos persistentes. Continuamos junto com nossas amigas e amigos a lutar por trabalho remunerado digno, por moradia digna, pelo direito a educação, a saúde. Começamos a entender que as Leis, as regras eram criadas intencionalmente para garantir que houvessem os privilegiados e os desfavorecidos. Nós éramos os desfavorecidos.

Nos pedem para prender nosso cabelo, riem de nossos traços, de nossa cor reforçando a todo momento por palavras, gestos e atitudes que somos inferiores, que somos pessoas feias e não merecedoras de respeito. Tudo isso com certeza para que acreditemos que somos de fato. Ali se consolidava estrategicamente uma Estrutura sólida e Cruel chamada Racismo. A estrutura envolvia também massacrar nossas mentes e corações.

Eu e Você sabemos bem o que é. Estamos vivendo isso no dia a dia. Os anos se passam e cada vez mais percebemos que crueldades envolvendo pessoas não negras tomam proporções midiáticas, mas nossas Vidas não importam da mesma maneira.

Hoje estamos aqui eu e você. Não estamos mais naquele cenário, mas ao olhar nos olhos uma (um) da (o) outra (o) não conseguimos comemorar, pois sabemos que a maioria de nós ainda estão lá, no Jacarezinho e em diversos outros lugares vivendo praticamente a mesma realidade de 14 de maio de 1888.

Então eu me pergunto: Quando conseguiremos que Todos sejam de fato reconhecidos como Humanos na nossa Sociedade?

Como Mãe, Otimista, Militante e com muita Fé gostaria de responder que será em “breve”, mas como realista que também sou, o breve me parece distante.

Se você que aceitou meu convite se incomodou e se importa com tudo isso, fico feliz, pois acredito que para começarmos a agir precisamos ser verdadeiramente impactados!

Ótimo final de semana!
Lisie Santana