10 de fevereiro de 2021

Blefe na hora de entrevistar um suspeito, como utilizar?

Tempo de leitura: 2 minutos

Há uma grande mística com relação ao uso do Blefe durante a entrevista investigativa com um suspeito.

É muito comum os entrevistadores acharem que este artifício é infalível e que a sua utilização trará a primeira admissão do ato e, por consequência, a confissão posterior.

Por conta disso, o entrevistador acaba caindo no erro de inventar qualquer situação para ser dita durante a entrevista sem tomar os devidos cuidados.

Minha experiência com o blefe

Na minha experiência, a utilização errada de um blefe pode trazer sérios problemas à investigação e, principalmente, à reputação do trabalho e do entrevistador.

Utilizar um blefe que é facilmente descaracterizado pelo entrevistado é quase como deixar escrito em uma folha de papel o seguinte: “não conseguimos nada na investigação, não temos provas” ou ainda “eu estou tendo que inventar algo, pois já não sei mais como extrair informações de você.”

Isso é muito ruim para investigação, pois a partir deste momento ela foi desqualificada e dá a sensação de tranquilidade ao entrevistado, que ganhará muita força durante a sequência da entrevista.

Além disso, a reputação e até mesmo a crença que o entrevistado poderia ter sobre a capacidade e habilidade do entrevistador será sensivelmente diminuída.

Lançar um blefe que é facilmente superado pelo entrevistado deixa a seguinte mensagem de que o entrevistador pode não ser tão capacitado para interrogá-lo.

Assim, o “mito entrevistador” que consegue as informações e resolve os casos acabou de ser destruído.

A forma certa de usar o blefe            

A melhor maneira de utilizar um blefe durante a entrevista com um suspeito é trazendo situações ou processos que o suspeito não tenha controle, ou seja, algo que ele fantasiará, ficando em dúvida se realmente aconteceu, pois ele nunca fiscalizou ou desconhece o processo ou o controle.

A sensação de risco e de descontrole criada por um blefe bem executado gerará o pensamento no entrevistado de que algum rastro ele deixou ou até mesmo o receio que ele não foi tão cuidadoso como deveria em alguma atitude que tomou e com isso alguém o denunciou ou a investigação o pegou.

Lembre-se, se você for blefar ou inventar algo precisa pensar em algo que o entrevistado não possui controle. Blefar ou inventar alguma coisa que é facilmente superada pelo entrevistado acaba com a entrevista.

Compartilhe:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no telegram
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email

ARTIGOS relacionados que podem te

interessar

interesse em cursos das

TRILHAS

interesse em cursos

in company

interesse em

treinamentos

interesse em

palestras